A contemplação é a atribuição do crédito ao consorciado para aquisição do bem ou serviço e para restituição de crédito de consorciado excluído.

O termo “excluído” é utilizado pelo Sistema de Consórcios para identificar aqueles consorciados que deixam o grupo, seja solicitando a exclusão à administradora, seja deixando de pagar prestações. A contemplação está condicionada à existência de recursos no fundo comum do grupo.

Existem duas formas de contemplação no consórcio:

SORTEIO
Representa a essência do consórcio, uma vez que todo consorciado em dia com o pagamento de suas parcelas concorre em absoluta igualdade de condições, bem como o consorciado excluído. A dinâmica dos sorteios fica a critério da administradora e deve ser estabelecida em contrato. Algumas realizam os sorteios com globos giratórios, outras utilizam os resultados da extração da loteria federal.

LANCE
É a oferta de um valor, correspondente a certo número de prestações a vencer, com o objetivo de determinar o momento da contemplação. As contemplações por lance estão condicionadas à disponibilidade de recursos no fundo comum do grupo. Após deduzir o
valor dos créditos disponibilizados por sorteio, a administradora avalia as ofertas para estabelecer quantas contemplações por lance são possíveis.

O valor ofertado pelo consorciado só é pago se o lance for o vencedor, sendo a quantia abatida do saldo devedor, conforme condições estabelecidas no contrato. A quitação do saldo pode ser realizada na ordem inversa (da última parcela a vencer), na ordem direta (da primeira parcela a vencer), ou reduzindo-se o valor de todas as prestações em aberto.

As regras para oferta de lances variam entre as administradoras e devem constar no contrato. A administradora pode estabelecer que os lances sejam livres (ou seja, no valor que o consorciado desejar ofertar), ou fixos, no valor estabelecido em contrato. Há ainda uma terceira possibilidade: lances livres a partir de um valor mínimo pré-fixado. Os critérios de desempate também constam do contrato, podendo ser sorteio entre os empatados ou oferta de lance adicional.

É considerado vencedor o lance que representar o maior número de parcelas a vencer ou o maior percentual do crédito contratado, desde que, somado ao saldo de caixa do grupo, ele seja suficiente para chegar ao valor do crédito contratado pelo ofertante. Se o consorciado contemplado por lance não realiza o pagamento do valor ofertado, ele é desclassificado e o próximo colocado é considerado vencedor, se sua oferta for suficiente para viabilizar a contemplação.

TIPOS DE LANCE
Existem dois tipos de lance no consórcio: com recursos próprios e embutido

LANCE COM RECURSOS PRÓPRIOS:
O consorciado utiliza suas próprias economias para adiantar determinado número de parcelas. Nessa opção, ele recebe o crédito total contratado. Por exemplo: se o crédito contratado pelo consorciado é de R$ 50 mil e ele oferta um lance de R$ 10 mil com recursos próprios, caso seu lance seja o vencedor, ele paga o valor ofertado à administradora e tem disponível R$ 50 mil para a compra do
bem ou serviço desejado.

LANCE EMBUTIDO:
O consorciado antecipa o pagamento de parcelas utilizando parte do  próprio crédito. Se o crédito é de R$ 50 mil e o consorciado oferta um lance embutido de R$ 10 mil, caso seja contemplado, a ele é disponibilizado o valor de R$ 40 mil para a  compra do bem ou serviço desejado.

É importante entender que, com lance embutido, o consorciado recebe todo o valor contratado. Porém, uma parte é utilizada para adquirir o bem ou serviço, enquanto a outra (o valor ofertado) é utilizado para abatimento do saldo devedor. Por esse motivo, todas as taxas são pagas sobre o valor integral do crédito.

LANCE EMBUTIDO COM FGTS:
Consorciados de imóveis que desejam adquirir moradia própria, podem utilizar o saldo de sua conta vinculada ao FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) para ofertar lance. Como o recurso é disponibilizado diretamente ao vendedor do imóvel, esse lance funciona como o embutido. Por exemplo: se o crédito do consorciado é de R$ 200 mil e ele oferta lance de R$ 30 mil com FGTS, a administradora
disponibiliza R$ 170 mil, descontando os R$ 30 mil ofertado para abatimento do saldo devedor. Mas, de todo modo, o consorciado tem os R$ 200 mil necessários para a compra do imóvel (R$ 170 mil do crédito e R$ 30 mil do FGTS).

Vale lembrar que a utilização do FGTS está condicionada aos pré-requisitos determinados no “Manual FGTS – Utilização na moradia própria”, da Caixa Econômica Federal, agente operador do FGTS.

LANCE EMBUTIDO + LANCE COM RECURSOS PRÓPRIOS:
Se previsto em contrato, é possível ofertar um lance sendo parte embutido e parte com recursos próprios.

Fonte: ABAC